• últimas resenhas •

22 de janeiro de 2018

LIVRO DOS ESPELHOS

Você tem certeza que sabe de tudo?

Título Original: O livro dos espelhos
Autor: E O Chirovici
Gênero do Livro: Suspense
Editora: Record
Ano de Publicação: 2017
Número de Páginas: 322
Código ISBN: 9788501109514
Comprar:
Sinopse: A verdade de um é a mentira de outro. Um livro com uma trama tão perturbadora que bota o leitor num jogo de espelhos. Quando o agente literário Peter Katz recebe por e-mail um manuscrito parcial intitulado O livro dos espelhos, ele fica intrigado. O autor, Richard Flynn, descreve seus dias em Princeton, e documenta sua relação com Joseph Wieder, um renomado psicólogo, pesquisador e professor. Convencido de que o manuscrito completo vai revelar quem assassinou Wieder em sua casa, em 1987 — um crime noticiado em todos os jornais mas que jamais foi solucionado —, Peter Katz vê aí sua chance de fechar um negócio de um milhão de dólares com uma grande editora. O único inconveniente: quando Peter vai atrás de Richard, ele o encontra à beira da morte num leito de hospital, inconsciente, e ninguém mais sabe onde está o restante do original. Determinado a ir até o fim neste projeto, Peter contrata um repórter investigativo para desenterrar o caso e reconstituir o crime. Mas o que ele desenterra é um jogo de espelhos, uma teia de verdades e mentiras, e uma trama mais complexa e elaborada que a do primeiro lugar na lista de mais vendidos dos livros de ficção.

Como a sinopse já diz, o livro começa quando o agente literário, Peter, recebe um manuscrito com uma carta de apresentação totalmente fora do que ele está acostumado. Intrigado com o que está escrito resolve colocar na frente da sua fila de manuscritos o que recebera de Richard. Entretanto, o texto não está completo, e é a partir deste momento que a trama começa, de fato.
Quando o agente literário termina de ler o manuscrito, ele fica muito interessado por querer saber a continuação dela. Então, resolve ir atrás de quem o escreveu, só que nesta hora ele descobre algo que pode estragar todo o seu plano em obter o resto do manuscrito. É o início de uma busca que fará com que a cada descoberta o leitor fique indeciso do que possa ser verdade e do que possa ser mentira.
“Mais dois se passaram sem qualquer resposta, e, após algumas novas tentativas de contato por telefone(…) decidi ir até o endereço que ele indicara na carta(…)”
Peter conclui que tem um caso e uma “obra prima” em suas mãos, e, assim, resolve ir atrás de todos os rastros para tentar achar o final do livro de Richard, que se chama “O livro dos espelhos”
Nessa história, Richard escreve sua trajetória com Laura, por quem ele é um louco apaixonado, e com o professor bem famoso de psicologia, chamado Joseph Wieder. O foco principal é a morte deste professor, em sua própria casa, mas o manuscrito não revela quem foi o assassino. E, assim, a curiosidade faz com que o agente literário vá em busca do que possa ter acontecido. Para isso, decide por contratar um jornalista, chamado John, para que consiga resolver o mistério do final do manuscrito. Com isso, em capítulos escritos pelo próprio John, começa a saga para buscar, se existe mesmo, a continuação da história escrita por Richard, e para descobrir quem matou Joseph Wieder. No entanto, há uma desistência para este trabalho por parte de John, mas para não deixar o caso abandonado o jornalista comenta com o outro personagem do livro, Roy, que vai em busca dos fatos, sejam eles verdadeiros ou não. Já estão formados assim, os principais personagens.
Será que é tarde demais para tentar solucionar esse caso?
A suspeita principal acaba sendo a mulher por quem Richard dividia o apartamento e venerava, Laura. Mas será que foi pode ter sido ela mesmo? Joseph tinha alguns inimigos, e era considerado um mulherengo, talvez até um manipulador.
No decorrer da trama, quando a gente acha que tudo já poderia estar sendo explicado, uma reviravolta aparece, e assim é o costume da história: brincar com a nossa mente. Nada do que parece ser, é.
O curioso é que não se tem apenas um protagonista nessa interessante obra literária. Com o passar das páginas (e não somente dos capítulos) o leitor vai descobrindo mais e mais personagens que podem, ou não, ser muito importantes. Aí você começa a se perguntar se o que Richard escreveu, de fato, ocorreu, ou se é apenas uma ficção.
Você vai se perguntar durante todo o livro sempre as mesmas perguntas:
Afinal, quem matou Joseph Wieder e por que?
E quem estava certo durante esse tempo todo?

[- Minhas impressões -]


Eu achei o livro fantástico. É um romance (romeno para ser mais específica) que eu poderia enquadrar como um thriller, que faz jus ao título. Você se verá ao redor de muitas suspeitas que podem ser o reflexo de um único espelho (sem querer filosofar ).
Muito interessante a forma com que ele faz que o leitor suspeite de cada indivíduo do livro, mudando de opinião a cada capítulo. Os personagens são envolventes e quando você acha que descobriu tudo, acaba por perceber que mal sabia de todos os detalhes. O autor criou todo esse suspense que prende o leitor desde a primeira página. Há passagens que mostram que ele fez pesquisas (ou que realmente entende) de determinado assunto para que seja explicado, com maior detalhe, fatos relevantes.
Existem três passagens que são escritas por três personagens diferentes, e cada um deles tem a sua visão sobre o manuscrito e o que aconteceu com o final dele. Os demais personagens que vão surgindo são fundamentais para o acréscimo da suspeita, todos com a sua (suposta) versão que podem ser iguais, dependendo do ponto de vista do leitor.
A cada capítulo, o leitor fica mais instigado em saber se a sua teoria é a correta. Afinal, a cada fala dos personagens o leitor pode mudar de ideia. É um jogo psicológico. Ou seja, se prepare para não querer largar o livro até a última página ter sido lida.
Falando sobre a capa do livro, de imediato, quando a vi achei meio confusa, não por ter muita coisa nela, pelo contrário, mas por ser apenas pedaços de vidros quebrados. Confesso que não entendi o porquê dessa imagem, mas ao chegar ao fim da história a minha visão mudou e consegui compreender o seu significado. Entretanto, isso vai de cada um, você pode ler o livro e ainda não entender.
Já a diagramação, não tem mistério. Ela é simples, e com as páginas em papel off-white há um conforto para os nossos olhos. Posso afirmar pois li o livro físico mesmo. Quanto aos erros de português eu não encontrei nenhum. Não tem uma quantidade correta de capítulos, digo, não são números contínuos, a cada novo personagem que conta a história, os capítulos reiniciam do número “Um”.
Com uma leitura fácil, mas que as vezes você pode se encontrar perdido devido aos relatos dos personagens, porém, nada que o faça querer desistir do livro, muito pelo contrário, você não vai querer largá-lo em nenhum momento. O autor consegue prender o leitor em todos os pontos do livro.
Eu recomendo, e muito, a leitura para aqueles que gostam de um livro arrebatador, e que adoram ficar presos nas páginas.


Resenha que eu escrevi para o blog I LOVE MY BOOKS. Cópia autorizada pela dona do blog.

Nenhum comentário:

Postar um comentário