• últimas resenhas •

27 de fevereiro de 2018

Descolori meu cabelo. E agora?

Eu sempre amei mudar meu cabelo, e principalmente pintá-lo. Não sou loira natural, nasci com cabelo castanho, porém quando eu tive a minha independência, digo, a ideia de mudar drasticamente eu comecei a ficar loira. Isso foi lá para 2009. Muito tempo, não é verdade? Naquela época não existia a tendência de hoje, raiz escura e o resto claro. NÃO. NEGATIVO. Ou pintava ou não pintava. E é claro que eu não iria deixar de pintar. Lá fui eu ficar loira da raiz as pontas. E para isso o que eu tinha que fazer? DESCOLORIR, claro. Só que o meu processo não foi rápido. Vixi. Quem dera. Demorou muito para ficar com o cabelo por completo loirão bafão lindão.

Isso é bom e ruim. Sabe porquê?

Assim o cabelo NÃO É MUITO MALTRATADO. Não agride 100%. Por exemplo, eu ano passado resolvi escurecer as minhas madeixas para castanho e esse mês, logo após o carnaval, eu cansei de ficar morena e decidi voltar a ter a cor que eu sempre amei: o loiro. Só que eu comecei aos poucos, bem lentamente, fiz várias mechas e deixei a raiz escura. Essa opção foi única e exlusivamente para duas coisas:

  1. NÃO FICAR REFÉM DA TINTURA TODO MÊS.

  2. AGREDIR MENOS O CABELO.

Se eu tivesse pintado o cabelo por inteiro eu estaria morrendo de sufoco, de tristeza, de raiva, de cansaço por ver o meu cabelo todo ressecado como se fosse uma palha. Fazendo aos poucos, por mechas, enquanto o que foi agredido sofre o que não passou por química nenhuma está ali para te dar um pouco de leveza.
Claro que eu queria voltar a ficar loira de uma vez

Mas eu prefiro ir com calma, com paciência, com hidratações até eu ter DE FATO a cor que tanto amo.

Então posso deixar essa dica com você?

Se você quer se tornar loira comece aos poucos, faça um ombré hair e vai aumentando as suas mechas de acordo com a saúde do seu cabelo.

Duvido que assim você vá se arrepende.

Um beijo,

Nenhum comentário:

Postar um comentário