• últimas resenhas •

3 de agosto de 2018

Bienal começou hoje... e eu em casa.

 

É muito triste pensar que hoje começou a Bienal do Livro e não poderei comparecer. O ano passado eu estive presente em dois dias da Bienal aqui do Rio de Janeiro, mas este ano só irei conferir através das mídias sociais. É um saco? É. Estou chateada? MUITO. 

   Já estou de prontidão nos perfis das editoras e de uns conhecidos que marcarão presença no maior evento literário do Brasil.

   Durante toda essa semana eu estava de olho nas montagens dos stands de certas editoras, não posso negar que queria que eu estivesse ali com elas ajudando na criação do mundo literário. Claro! Com certeza. Porque além de chegar na hora e comprar com tudo já pronto e maravilhoso, deve ser uma energia enorme e gratificante acompanhar cada pedacinho do stand sendo erguido. E pelo que eu pude notar algumas editoras irão arrasar. Na verdade essas mesmas que fiquei de olho sempre arrasam. Criam cada stand que é de tirar o fôlego de qualquer leitor e autor.

   E você? Vai na Bienal quando? Ou vai ficar analisando os perfis em casa, que nem eu?
   Conta pra mim.

1 de agosto de 2018

Mas Tem Que Ser Mesmo Para Sempre?

   Semana passada eu recebi da Editora Record um dos lançamentos que eu estava louca para ler. O novo livro da Sophie Kinsella. Se você não sabe, eu amo chick-lit. Meus livros são deste gênero. E se você adora ler livros assim, concorda comigo que a Sophie é a "rainha do chick-lit". Correto? Bem, eu acho. Sendo assim eu já o tinha colocado na minha lista de próximas leituras, mas ainda não havia comprado. E para a minha surpresa ao abrir o pacote da Record me deparei com essa belezura. Fiquei tão feliz que dei pulinhos de alegria.
   De momento não irei fazer a resenha, apenas quis mostrar o meu novo recebido para vocês, e assim ter uma ideia do que poderei escrever quando terminar a leitura. Leitura essa que me fez interromper o livro que estava lendo no meu LEV.
   Eu até já comecei a me deliciar com a escrita da Sophie. Claro, não perdi tempo.
   Então fiquem ligados que em breve vai sair uma nova resenha por aqui.


SINOPSE:


Juntos há dez anos, Sylvie e Dan compartilham todas as características de uma vida feliz: uma bela casa, bons empregos, duas filhas lindas, além de um relacionamento tão simbiótico que eles nem chegam a completar suas frases – um sempre termina a fala do outro.No entanto, quando os dois vão ao médico um dia, ouvem que sua saúde é tão boa que provavelmente vão viver mais uns 68 anos juntos... e é aí que o pânico se instala. Eles nunca imaginaram que o “até que a morte nos separe” pudesse significar sete décadas de convivência.Em nome da sobrevivência do casamento, eles rapidamente bolam um plano para manter acesa a chama da paixão: de um jeito criativo e dinâmico, passam a fazer pequenas surpresas mútuas, a fim de que seus anos (extras) juntos nunca se tornem um tédio.Porém, assim que o Projeto Surpresa é colocado em prática, contratempos acontecem e segredos vêm à tona, o que ameaça sua relação aparentemente inabalável. Quando um escândalo do passado é revelado e algumas importantes verdades não ditas são questionadas, os dois – que antes tinhas certeza de se conhecerem melhor do que ninguém – começam a se perguntar: Quem é essa pessoa de verdade?...”.Um livro espirituoso e emocionante que esmiúça os meandros do casamento e que demonstra como aqueles que amamos e achamos que conhecemos muito bem são os que mais podem nos surpreender.

31 de julho de 2018

MISSÃO IMPOSSÍVEL: EFEITO FALLOUT


Data de lançamento: 26 de julho de 2018 (Brasil)
Direção: Christopher McQuarrie

Distribuidor:  Paramount Pictures
Tipo de filme:  Longa-metragem


Obrigado a unir forças com o agente especial da CIA August Walker (Henry Cavill) para mais uma missão impossível, Ethan Hunt (Tom Cruise) se vê novamente cara a cara com Solomon Lane (Sean Harris) e preso numa teia que envolve velhos conhecidos movidos por interesses misteriosos e contatos de moral duvidosa. Atormentado por decisões do passado que retornam para assombrá-lo, Hunt precisa se resolver com seus sentimentos e impedir que uma catastrófica explosão ocorra, no que conta com a ajuda dos amigos de IMF.





   Não sei se você sabe, mas eu sou fã do ator Tom Cruise já tem bastante tempo. Coloca "bastante" nisso. Antes mesmo da internet. Nossa, como estou velha. HAHAHA.
   Antes de existir o mundo todo em nossas mãos eu pesquisava em revistas e jornais sobre o "melhor ator do mundo". Eu o considerava o mais top entre os tops. Para mim ele sempre foi um ator fenomenal. Em todo papel que ele se propôs a fazer, não consegui encontra-lo em maus lençóis. Não mesmo, e olha que eu tentei achar um filme em que ele não havia feito perfeitamente. Porém, dentre todos os seus filmes, desde TOP GUN, que mesmo não tendo sido o seu primeiro filme de estreia como ator, foi o que o fez se tornar O TOM CRUISE, eu ainda prefiro MISSÃO IMPOSSÍVEL. Desde o primeiro filme dessa sequência eu não fico parada, digo, não deixo de ir ao cinema ver mais um filme perfeito de ação. E foi o que eu fiz ontem: eu vi MISSÃO IMPOSSÍVEL: EFEITO FALLOUT. E aqui estou para mostrar um pouco da minha opinião desta produção do próprio Tom (se você não sabia já tem bastante tempo que ele produz os seus filmes. Não apenas ele, claro.)




    De cara já quero avisar que o EFEITO FALLOUT para mim é o melhor da franquia. Por motivos bem simples de serem compreendidos. É muita ação. Me arrisco a dizer que tem mais ação do que os anteriores. E com tanta ação a gente pensa que o ator principal, estrela do filme, deve ficar sentado observando o seu dublê fazer a maior parte das cenas de lutas; de saltos; de corrida, etc. Não é? ERRADO!!! O Tom (íntima) deixou de usar dublê desde o século passado (não sei muito bem em qual filme). Ele quase não usa mais. Prefere se arriscar e deixar as cenas muito mais realistas colocando o seu corpo à deriva. E foi o que realmente aconteceu. Numa cena em que ele pula de um prédio para outro ele acabou se machucando de verdade, com isso as gravações tiveram que ser paradas para que ele pudesse se recompor e depois terminar o filme (por isso a demora do lançamento).
    Você não vai conseguir respirar um minuto assistindo a esse filme, pois como já mencionei é muita ação.
    A fotografia está excelente; a trilha sonora sempre me arrepia e neste filme não foi diferente; os ângulos das câmeras não erraram um minuto sequer.
    O filme vale muito a pena ser visto no cinema. Se você ama ação este é o filme perfeito. Se você gosta do Tom Cruise, não pode perder. Se você está procurando um bom filme para ir até o cinema, garanto que não irá se arrepender.

Um beijo.